Follow by Email

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A alteração de Renato - Análise Tática de Grêmio x Godoy Cruz

Segundo clube brasileiro com maior passagens às quartas de final da Libertadores, apesar do susto com o gol inicial do Godoy Cruz, avançamos e agora aguardamos Botafogo ou Nacional do URU. E tomamos esse susto no início do jogo, onde o Godoy Cruz foi melhor e teve mais domínio, pois Renato escalou Maicon no lugar de Arthur, mantendo o restante da equipe considerada titular, somente com a substituição de Edilson por Leo Moura (que na minha modesta opinião é um acréscimo).

Sofremos no início do jogo e no início do 2º tempo. Mas de maneira geral controlamos o jogo.

Analisando a entrada do Maicon no lugar do Arthur, vejo que foi por dois motivos. Primeiro por ser jogo decisivo, Maicon ser o capitão e ser mais experiente. Segundo ponto, a menor capacidade de marcação de Leo Moura, onde Maicon teria a função tática de maior marcação. Isso ficou claramente no jogo. O Godoy Cruz atacou pela nossa direita, e consequentemente o Grêmio atacou mais por este lado. Maicon teve que fazer esse papel de contenção, com isso Michel ficou responsável pela saída de bola, pois normalmente tinha mais espaço. Mas um ponto que observei também, foi Michel por vezes saindo da sua posição, fazendo uma marcação mais alta, assim abria espaço entre a defesa e meio campo do Grêmio, onde o Godoy Cruz conseguiu atuar. Se notarem, o gol sofrido pelo Grêmio foi nessa faixa de campo, pois o atacante teve tempo de esperar a bola picar e chutar com espaço (sim, foi falha do Grohe).





Jogo ocorreu pela direita. Fortíssima atuação de Leo Moura, e Maicon mais posicionado. Mapa de calor de Michel abaixo mostra mais centralizado e com              mais espaço para saída de bola.                                        



Falando ainda de como o jogo se desenvolveu pela direita, a própria movimentação de Ramiro e Pedro Rocha, que se espelham dentro do campo, obviamente com diferentes características, refletem isso. Pedro Rocha muito mais avançado pela ponta esquerda e Ramiro ajudando o lado direito na recomposição. Acredito que além de Michel, que estava um pouco nervoso, até pelo fato de estar um pouco deslocado, Ramiro sentiu essa saída de Arhur, pois junto com Luan são os que mais trocam a bola entre si. A dinâmica com Maicon é diferente, pois ele segura a bola, pensa, roda, e dá passes de ruptura (aqueles passes que atravessam a defesa). Ao contrário de Arthur que roda muito mais, aparece para jogar, distribui em espaços curtos. Em resumo, o time sentiu essa troca e eu não fui muito favorável, pois perdemos dinâmica de jogo.




Pedro Rocha e Ramiro com funções diferentes no campo. Enquanto um atacava o outro mais defendia. Reflexo no mapa de calor de todo jogo conforme abaixo, onde jogo foi pela direita. 


Se na meia defensiva tivemos essas alterações, no ataque fomos muito bem. Barrios voltou fazendo o que tem que fazer. Incomodando o zagueiro, brigando por toda bola, fazendo o pivô e chutando em gol. No primeiro gol acreditou até o final e deu um passe inteligentíssimo para Pedro Rocha marcar. No rebote do goleiro ele não domina a bola, e sim passa por cima dela, e gira para tocar para o meio. Lance de quem conhece a grande, e no caso a pequena área. No segundo gol foi inteligente em não estar em impedimento (vale ressaltar a jogada do craque Luan, que tinha possibilidade mais fácil para tocar para Pedro Rocha, mas que entrava impedido pela esquerda) e deu um belo chute que tocou na trave e no rebote Pedro Rocha (mais uma vez bem posicionado), fez o gol que nos garantiu a vitoria. Os números de Luan e Pedro Rocha na Libertadores mostram essa qualidade, sendo considerados pelo Footstats os dois melhores nas estatísticas da competição.

Os números de Pedro Rocha e Luan que os credenciam como os melhores da Libertadores.

O importante é que conseguimos a classificação para as quartas de final da Libertadores, e se comparados a Atlético MG e Palmeiras, que tem investimentos muito maiores, essa classificação deve ser muito comemorada. Afinal o que ganha um jogo pode ser um jogador, mas o que ganha título é um time bem equilibrado e com uma dinâmica de jogo bem definida. Por isso que jogadores que foram criticados e até ridicularizados no início do ano, como Cortez e Leo Moura, estão jogando muito bem.

Tweet que bombou!

Se gostou comenta aí, ou vai lá no meu Twitter @mwgremio para debatermos taticamente o Grêmio.

E antes que eu me esqueça, obrigado Pedro Rocha!

Encontro com Pedro Rocha em ação beneficente de sua família, realizado nesta última segunda-feira.



Nenhum comentário:

Postar um comentário