Follow by Email

sábado, 22 de julho de 2017

A mudança tática contra o Vitória e a efetividade ofensiva

E mais uma vez o Grêmio nos surpreendeu. Sem Luan e Michel (e no aquecimento também sem Geromel) surgiram dúvidas de como o time jogaria. Maicon entraria como volante, no meio? Arthur seria o meia central? Fernandinho entraria na direita e Ramiro recuaria? 4 volantes, Jaílson poderia... Muitas opções tanto é que no pré jogo não coloque a provável escalação do time, pois seria um mero chute. Mas calma, temos Renato e ele acertou o time, de novo. Mantendo o modelo de toque de bola, Renato escalou Maicon e Fernandinho. Assim o time jogou num 4 3 3 na forma ofensiva e defensivamente num 4 1 4 1, ao qual falarei mais nesse post.

 Figura tática do Grêmio. 4 3 3 ofensivamente, com Fernandinho e Pedro Rocha Recompondo no 4 1 4 1.

SISTEMA DEFENSIVO
Defensivamente atuamos no 4 1 4 1 da seguinte forma. Deixamos Maicon na frente da zaga, sendo a figura do "1" defensivo. Arhur e Ramiro ficavam mais centralizados e Pedro Rocha e Fernandinho faziam a recomposição, assim ficando com uma linha de 4 no meio campo, sobrando Barrios na frente como o outro "1" do esquema tático. Essa movimentação é diferente do estamos acostumados a ver, onde fazemos duas linhas de 4 (Pedro Rocha -Michel-Arthur-Ramiro), onde Luan e Barrios se movimentam na frente deles.

 Linha defensiva pela esquerda.

 O 4 1 4 1 defensivo, alterando a postura tática do Grêmio.

A linha defensiva pela direita, com a recomposição de Fernandinho.

SISTEMA OFENSIVO E A EFETIVIDADE NAS CONCLUSÕES
Segundo palavras da @DaniGremio quando atacávamos sentíamos falta do nosso craque Luan. "Contra o Vitória sobrou a postura agressiva que senti falta no primeiro tempo contra a Ponte Preta, mas faltou casa-lá com a classe. Talvez pela falta do nosso craque que inicia, cadência, cria e termina as jogadas." Mesmo assim Renato encontrou uma maneira de substituir Luan, onde Ramiro e Arthur ficaram centralizados, dividindo a função de organizadores, o que achei ótimo, pois quando Arthur foi colocado na função de Luan, não rendeu muito bem. Com os dois centralizados Renato abriu mais Pedro Rocha e Fernandinho pelas pontas, dando assim mais amplitude e profundidade ao time, para que tivéssemos mais espaços para criar jogadas, levando os laterais do Vitória para a linha de fundo. Com isso Arthur, Ramiro e Maicon tinham mais espaço para criação no meio campo, através do toque de bola rápido. Significa que essa superioridade numérica, tanto defensiva quanto ofensiva, como falamos "ganhamos o meio campo", pois defendíamos com segurança e atacávamos com velocidade e vários jogadores.
 Imagem do Data ESPN, da organização ofensiva sem Luan. Excelente análise do Gustavo Hofman.

Posicionamento medio dos jogadores do Grêmio contra o Vitória. Maior concentração no meio campo.

Mais um ponto a enaltecer ofensivamente é nossa capacidade de finalização. Contra o Vitória foram 7 chutes, sendo que 5 em gol e 3 gols, o que mostra a precisão do time, que se comparamos com o Vitória teve 16 chutes, mas somente dois em gol.  No campeonato temos a melhor finalização do Brasil, onde precisamos de 5,9 tentativas para fazer o gol. Não somos o time que mais tentamos (176 tentativas, somos o 12), porém somos o que temos mais tentativas em gol (91, em primeiro junto com Chapecoense e Flamengo, os times que mais tentativas tem). Esses números se devem, pois finalizamos quando realmente temos a melhor chance, e invariavelmente de dentro da área. No jogo contra o Vitória, por exemplo, tivemos 3 finalizações da grande área, 3 na linha da meia lua e apenas uma mais distante.

 Locais das finalizações contra o Vitória. Altíssimo aproveitamento!

Em azul as finalizações do Grêmio e em laranja do Vitória. 

Números do Footstats Premium mostram que temos a melhor finalização do Brasil.


OS DESTAQUES DO TIME
Fernandinho e Ramiro foram muito bem. Não só pelos seus gols, além de uma assistência de Fernandinho, mas como combinaram bem as jogadas pela direita. Conseguiram formar uma parceria que dificultou muito a defesa do Vitória, devido a movimentação de ambos, seja com Fernandinho mais aberto e cortando para o meio, seja com Ramiro sempre aparecendo para tabelar. Podemos ver essa intensidade de ambos no mapa de passes do time. Primeiramente o mapa completo (passes do Grêmio em azul), e segundo só os passes entre ambos, que predominaram no jogo.

 Passes totais no jogo
.
Passes de Ramiro (76) e Fernandinho (46) ao longo do jogo. Destaque também para Maicon (63) e Arthur (72), comprovando como dominamos o meio campo.

Após o jogo Ramiro foi destaque do Footstats, mostrando a incrível fase que vive (desde o ano passado, diga-se de passagem). Ramiro jogando em diversas posições tem sido fundamental para equipe. Seja aberto pela direita, seja como segundo volante ou como armador como no último jogo. Que orgulho em ter o melhor anão e motor de um time do campeonato Brasileiro! 

Números do Footstats.

MULHER ENTENDE MUITO DE FUTEBOL!
Finalizando a análise, deixo para vocês o breve comentário da @DaniGremio que mora na Bahia e sempre acompanha com nosso tricolor. Ela como várias outras seguidores fizeram a analise do jogo comigo na tweet line durante e pós jogo, não citarei o nome de todas para não ser injusto com alguém, mas foram mais de 40 que comentaram, curtiram ou retweetaram as informações, para mostrar para uns e outros que mulher entende muito de futebol!
"O Grêmio mostrou força de Renato e do coletivo. Os caras correm um pelo outro, é algo apaixonante! O Ramiro é sensacional." @DaniGremio


Gostou, então comenta aí ou lá no meu Twitter @mwgremio



Nenhum comentário:

Postar um comentário