Follow by Email

domingo, 10 de setembro de 2017

As lições para o jogo contra o Botafogo - Análise Tática de Vasco 1x0 Grêmio

O que a grande maioria da torcida queria ocorreu, pois jogamos com o que tínhamos de melhor. Repetimos o time contra o Sport, porém com Barrios no lugar de Everton. Infelizmente o resultado não veio. Mais do que isso a atuação foi fraca, lembrando em muitos momentos o time treinado por Roger nos últimos meses da passagem dele, com um toque de bola sem objetividade. E aqui um ponto que gosto de repetir sempre nos meus comentários no Twitter ou por aqui: os números ajudam a compreender o jogo, porém não são o essencial. Para ter uma análise completa, antes de mais nada tu deves ver o que passa pelo jogo e com isso compreender o que os números nos trazem. O jogo contra o Vasco mostrou isso, pois o Grêmio teve 64% de posse de bola, efetividade de 88% dos passes e seis finalizaçãoes a mais que o time adversário. Porém estes números mostram  o quanto tivemos o controle total do jogo, sem efetividade alguma. Por exemplo, tivemos apenas uma finalização de dentro da área. 

Linhas de posse mostram controle do jogo do Grêmio, mas sem efetiviade.

Apenas um chute de dentro da área, mostra a fragilidade da ligação do meio com o ataque.

Mas por que não conseguirmos ser efetivos? Vejo três pontos principais:
1 - a falta de Luan que faz o time jogar e se movimentar, seja pela sua mobilidade entre a defesa do adversário (o jogo "entre as linhas"), seja por uma virada de jogo, ou um passe diferenciado entre a defesa (passe de ruptura se preferirem), ou pela qualidade de um drible que quebra a defesa adversária.

2 - a escalação de Fernandinho na esquerda, Leo Moura no meio e Barrios na frente. Todos sabemos que Fernandinho entra melhor no decorrer do jogo atuando pela direita, mas pelo que vimos dos dois últimos jogos ele deve ser o substituto de Pedro Rocha, até a recuperação total e ritmo de jogo de Arroyo, que nos poucos minutos em campo mostrou a capacidade de drible. Leo Moura no meio não tem a velocidade de Luan, seja pela idade, seja por característica pessoal, mesmo que tenha qualidade. Por fim e aqui a grande diferença do jogo contra o Sport, foi a entrada de Barrios. Contra o Sport Everton voltava para o meio, dava opções de jogo através da movimentação e também ajudava na construção de jogadas. Já com Barrios, a característica muda. Apesar do seu posicionamento médio estar no meio (com perdão da redundância), o movimento é totalmente diferente, pois Barrios faz a parede para que os demais jogadores passem em velocidade, o que não vimos no jogo. Outra mudança foi o número de cruzamentos que tivemos. Foram 32, recorde no campeonato e apenas 4 certos.

Posicionamento médio do Grêmio. Fernandinho mais a frente e demais jogadores agrupados pelo meio, mostrando falta de abertura e opções de jogo.

Recorde de cruzamentos, saindo da nossa característica.

3 - Por fim, a característica defensiva do Vasco, que atuava com 4 jogadores na defesa e 5 no meio campo. Com isso, o time esperava o Grêmio e saía no contra ataque. E aqui me refiro a principal característica do Botafogo, que é um time bem posicionado na defesa, saindo no contra ataque. Se preferirem, o Botafogo é um time reativo. Assim como o Vasco ontem, a tendência é de ficarmos com a bola no jogo da Libertadores e com isso Renato terá que reinventar o Grêmio. Claro que se Luan jogar essa configuração de maior mobilidade, velocidade e abertura de espaços nós teremos. Faltará definir quem será o substituto de Michel (recuo de Ramiro, com Arthur ficando mais defensivamente, Fernandinho indo para a direita e Arroyo na esquerda ou a simples entrada de Jaílson são as opções mais prováveis). 

O gol do Vasco saiu de uma bola recuperada no meio campo e saída rápida no contra ataque, pegando a defesa do Grêmio totalmente desarrumada. Isso poderemos enfrentar contra o Botafogo, com a pressão no meio campo, pois atuam com 5 jogadores que marcam e saem para o jogo (Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, João Paulo e Pimpão, que faz função próxima do que fazia o Pedro Rocha). Aliás, Pimpão é o escape do time do Botafogo, que procurará Roger e Bruno Silva no meio da área para finalizar. Temos que ter muito cuidado para não cometer o mesmo erro do gol do Vasco, onde Cortez acompanhou o meio campo, não marcando o lado esquerdo, Michel ficou sem função e Fernandinho não teve tempo de recompor.

 Imagem 1, Cortez acompanha o meio campo.
Imagem 2, falha de marcação na esquerda.

Se gostou me acompanha pelo Twitter @mwgremio

2 comentários:

  1. Primeiramente parabéns pelo trabalho, contra o Botafogo também ficou nítido que abusamos dos cruzamentos, outro ponto, Barrios "passou fome" na frente, sentimos falta da inteligência de Luan e PR32, tu acha que Douglas 100% cabe nesse time ? Quem deveria sair? Pois hoje Luan está fazendo uma função parecida com a que ele fazia o ano passado, e nosso craque não pode sair. Abraço

    ResponderExcluir
  2. Oi Guilherme, muito obrigado!
    Sim, Barrios está sentindo muito a falta de Luan, assim como todo time e não poderia ser diferente. Renato está tentando uma maneira de jogar sem ele. Contra o Botafogo já inverteu Leo Moura e Ramiro, e comento isso em detalhes no post do jogo. com Douglas 100%(mas acho q só ano que vem), ele seria o substituto de Luan, natural e saia Leo Moura, mantendo a estrutura. Com Luan já acho que ele deve ser opção, pois aí mudaria muito o time.
    Abs

    ResponderExcluir